spacer
spacer search
Search
spacer
PRINCIPAL
Álbum de Fotos
Anuncie Aqui
Artigos
Blog / Fotoblog
Carros
Cidades de Minas
Colunistas
Fale Conosco
Horóscopo
Humor
Jsm News
Links Uteis
Lista Telefonica
Pesquisar
Rádios
Últimas Noticias
CADERNOS
Guaxupé
Juruaia
Minas Sampa
Varginha AJ
Varginha RF
Governantes que não respeitam o meio ambiente?
  
COLUNISTAS
Alfredo Junior
Américo Prepúcio
Domingos
Dree
Fabio Loiola
Faustino Vicente
José Nário
Luiz Claudio
Mauro Quintão
Mister Pam
Raquel Ferreira
Roberto Hunger
Robson Custódio
Tamara Gaspar
Tres Vozes
Weber
 
PRINCIPAL arrow Jsm News arrow Cultura arrow ARTE BIZANTINA - ESPECIALIDADE DO ARTISTA PLÁSTICO MONTEBELENSE

ARTE BIZANTINA - ESPECIALIDADE DO ARTISTA PLÁSTICO MONTEBELENSE PDF Imprimir E-mail
04 de maio de 2008
ImageO artista – Antônio Fernando dos Anjos é arquiteto formado pela Universidade de Mogi das Cruzes, artista plástico especializado em Arte Sacra pelas Faculdades Assunção do Ipiranga (FAI) e membro da Comissão de Arte Sacra e Arquitetura da Diocese de Guaxupé.
A arte – O termo arte bizantina refere-se à expressão artística de caráter religioso dos primórdios do cristianismo no Império Bizantino. Por volta do século IV, com a invasão dos povos bárbaros ao longo do Império romano, o imperador Constantino I transfere a capital do império para Bizâncio, antiga cidade grega renomeada mais tarde para Constantinopla. Neste local reúnem-se toda uma série de fatores que impulsionam a ascensão da nova expressão artística que perdurou até os dias de hoje.











A obra – O artista Fernando dos Anjos vem se dedicando com afinco a difundir e perpetuar essa grande arte tradicional do Cristianismo, repleta de simbolismos. Um toque marcante da sua obra é o fato dele produzir uma releitura dessa arte antiga, respeitando suas principais características mas introduzindo novos conceitos que a aproximam mais das interpretações contemporâneas dos fatos bíblicos. Dentre as muitas obras que já foram realizadas por ele na região, duas se destacam: a Capela Mãe Rainha, localizada no Jardim Aeroporto em Alfenas e o templo da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, na cidade de Poços de Caldas.


Capela Mãe Rainha (Alfenas-MG)



Capela Mãe Rainha (Alfenas-MG)



Detalhe do painel central (Cristo Verdadeira Videira)



Painel da Mãe Rainha



Paróquia Sagrado Coração de Jesus (Poços de Caldas)



Nestas imagens, registradas durante a confecção do painel, pode-se ter uma idéia das dimensões.



O painel totalmente acabado (o Ambão da palavra e o Altar também são de autoria do artista)



Parte central do painel - Cristo Pantocrátor (Onipotente)



Na ampliação pode-se observar claramente os detalhes da técnica utilizada (afresco).



Nossa Senhora da Súplica



Os lírios que representam São José


A SIMBOLOGIA DAS MÃOS



Detalhes das mãos de Cristo e Maria




A mão de Deus representando o gesto extraordinário da Criação



O trigo que representa o fruto do suor humano e que irá se transformar em pão (corpo de Cristo)



Capela Mãe Rainha (Alfenas-MG)


LEIA MAIS SOBRE A ORIGEM DA ARTE BIZANTINA

No século V, em Bizâncio, emergiu um novo império cristão que duraria mil anos, criando uma nova forma de arte, nascida do Cristianismo. Em Roma, nas antigas catacumbas cristãs, há uma série de murais que datam das perseguições aos cristãos nos séculos III e IV. São os primeiros exemplos de pintura no Período Bizantino.O movimento vive o seu apogeu no século VI, durante o reinado do Imperador Justiniano I ao qual se sucede um período de crise denominado Iconoclastia e que consiste na destruição de qualquer imagem santa devido ao conflito político entre os imperadores e o clero.

A arte bizantina não se extingue, no entanto, quando da queda do Império romano do ocidente em 453, e permanece ainda nas regiões onde floresce a ortodoxia grega, estendendo-se à segunda metade do século XV e grande parte do século XVI. Este movimento chega mesmo a atravessar os limites territoriais do império bizantino, incluindo, por exemplo, os países eslavos. A localização de Constantinopla permite à arte bizantina a absorção de influências vindas de Roma, da Grécia e do Oriente e a interligação de alguns destes diversos elementos culturais num momento de impulso à formação de um estilo repleto de técnica e cor.

O mosaico é a expressão máxima da arte bizantina e, não se destinando somente a decorar as paredes e abóbadas, serve também de fonte de instrução e guia espiritual aos fiéis, mostrando-lhes cenas da vida de Cristo, dos profetas e dos vários imperadores. Plasticamente, o mosaico bizantino não se assemelha aos mosaicos romanos; são confeccionados com técnicas diferentes e seguem convenções que regem também os afrescos. Neles, por exemplo, as pessoas são representadas de frente e verticalizadas para criar certa espiritualidade; a perspectiva e o volume são ignorados e o dourado é utilizado em abundância, pela sua associação a um dos maiores bens materiais: o ouro

A expressão artística do período influenciou também a arquitetura das igrejas. Elas eram planeadas sobre uma base circular, octogonal ou quadrada rematada por diversas cúpulas, criando-se edifícios de grandes dimensões, espaçosos e profusamente decorados. (fonte: Wikipédia)







Próximo >
spacer
Receba News
Digite Seu Email
  Receber Noticia em HTML?
Anuncio no site
Vocejaviu.com.br
Alfenas Shop
Auto MG

 
Direitos reservados ao © Jornal Sul de Minas.com.br - Alfenas/MG - E-mail: redacao@jornalsuldeminas.com.br / 35 9136 2370
Powered by Mambo Server / Design by DreamWeb
spacer